domingo, 22 de junho de 2008

Rua do oeste

Estás entediada no meio de uma pequena e ruidosa multidão de palermas.
E eu sonho-me de imediato a galope no corcel branco para cuja garupa te puxo, percorrendo a avenida sob os aplausos dos que nos adivinham a caminho de um paraíso qualquer.

5 comentários:

medusasss disse...

Bem... o tédio governa a minha vida!
Tristesse!
Mas a mim ninguém jamais salvará montado num belo corcel branco! lol
***

CatDog disse...

Preferes de que cor, então?

medusasss disse...

parodiando, da cor do burro quando foge! lol

AH catdog, a vida não está para corceis, nem para cavaleiros andantes: não só já não existem como ninguém acredita verdadeiramente que alguma vez tenham existido.

***

catdog disse...

Isso é uma falácia. Recuso-me a acreditar. Já lutei pela honra de donzelas, já vi homens enfrentarem perigos impensáveis só para amarem uma delas.
E sei-me capaz de arriscar a vida por um grande amor, como outros que tive a sorte de conhecer.

A vida vai estar sempre para cavaleiros andantes. Abdicar dessa exigência é matar a sangue frio quase tudo quando verdadeiramente interessa numa existência como deve ser.

catdog disse...

Quanto e não quando.